Um Profissional a serviço das soluções

O uso das redes sociais está cada vez mais frequente, afinal, as ferramentas virtuais vem facilitando a vida de profissionais das mais diversas áreas. Por exemplo, para os jornalistas, as redes sociais se tornaram um facilitador para o trabalho de investigação e/ou apuração de matérias em desenvolvimento. Com isso, a demanda por profissionais para dar suporte aos que se utilizam das tais redes cresceu e muito.

E é em virtude disso que surgiu o Analista de Redes Sociais – nova profissão que pegou carona no sucesso da Web 2.0. Tem como metas desenvolver projetos, identificar as oportunidades de marcas ou empresas atuarem em redes sociais e, principalmente, dar o aporte necessário aos seus usuários.

Como o Analista de redes sociais é um tipo de profissional que vai se relacionar com vários públicos (tendo em vista amplo número de pessoas que as redes sociais vem atingindo), ele tem de ser criativo, ágil, estratégico e visionário. Afinal, o analista, muitas vezes, vai ficar na linha de fogo entre consumidores satisfeitos e insatisfeitos, respondendo pela marca.

Raquel Recuero afirma que uma rede social é definida como um conjunto de dois elementos: atores (pessoas instituições ou grupos) e suas conexões. Para ela, a conexão apresentada entre dois atores em uma rede social é denominada laço social, ou seja, aquilo que “estabelece uma conexão entre um par de atores”.

Hoje em dia, a invasão de: Twitter, Orkut, You tube etc. nas empresas, principalmente as de comunicação social, pode ser considerado um fenômeno, que aumentou o poder de interação em emissor e receptor, a tal ponto que não é mais possível distinguir quem é quem. Liliane Lessa, analista de comunicação do Instituto Elo, usou as novas tecnologias como tema de seu projeto de conclusão de curso. De acordo com Lessa, foi através dessa pesquisa que ela viu o potencial das mídias digitais para a comunicação.

Para Liliane “a entrada nas redes sociais aproxima o terceiro setor da sociedade civil e cria novos laços de relacionamento, possibilitando à sociedade maior participação e mais facilidade no acompanhamento de investimento de recursos públicos”. Comenta.

De acordo com o apresentador do CQC, Marcelo Tas, as redes sociais tem fundamental importância para o jornalismo. E, para destacar esta importância, ele fala sobre a relação da mídia impressa com instrumento que, até bem pouco tempo era primordial: o furo de reportagem. “Furo não chega mais nem a virar manchete” comenta. Isso ocorre porque a velocidade das ferramentas sociais supera qualquer informação “exclusiva” no momento de divulgação.

Para tanto, o exercício exige dispêndio energético e temporal. Conforme Rafael Galdino, consultor de marketing na internet é necessário estudo diário em novas tecnologias a fim de acompanhar o mercado das mídias sociais e planejar ações coordenadas e eficientes para que suas ações tenham visibilidade, credibilidade, cativando um público fiel.

Nomes:  Fernanda Oliveira / Frederico Müller / Geanine Nogueira / Igor Daniel / Rubem Fernandes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s